domingo, 31 de julho de 2016

Esperança


Por Marcelo Pereira

Espere que você chegue a este mundo sem problemas.

Espere que o médico não lhe dê um tapa após você nascer. E que seus pais não façam o mesmo quando você errar.

Espere que você tenha tempo livre para correr e brincar.

Espere que os adultos não estraguem a sua tenra e inadiável infância.

Espere que a aquela aula na escola não seja tão maçante e inútil.

Espere que a adolescência seja a melhor fase da sua vida.

Espere que aquele colega grandalhão não implique com você e lhe faça vítima de bullying.

Espere que a garota mais linda da escola esteja apaixonada por você, incondicionalmente.

Espere que seu primeiro emprego lhe pague bem e lhe trate com dignidade.

Espere que seu primeiro casamento seja por amor e o convívio seja tranquilo e duradouro.

Espere que seu filho nasça sem problemas e não crie algum após nascer.

Espere que o seu salário aumente com a inflação e preserve seu poder de compra.

Espere que o seu patrão lhe trate como um ser humano e não como uma máquina automática.

Espere que a mídia televisiva não minta e não tente manipular a sua opinião.

Espere que os engarrafamentos não lhe tomem um preciso tempo na vida.

Espere que você permaneça em seu emprego até se aposentar.

Espere que você chegue a velhice com o menor número de doenças.

Espere que você morra muito mais tarde do que parece.

Mas continue esperando.

E para isso que existe a Esperança: para você continuar esperando...

domingo, 24 de julho de 2016

Golpe Branco


Por Marcelo Pereira

Acharam que golpe só seria possível com tanques e exércitos;
Fizeram um golpe sem tanques e exércitos.

Achavam que precisariam de armas pesadas para destituir um governo;
Destituíram um governo sem qualquer tipo de arma pesada.

Acharam que impeachment só sera possível se tivesse um motivo;
Aprovaram um impeachment sem ter um motivo.

Acharam que um governo de direita só existiria sem corrupção;
Instalou-se um governo de direita cheio de corruptos.

Acharam que medidas duras só seriam tomadas se fosse para salvar o país;
Tomaram medidas duras para poder afundar o país.

Acharam que só haveria tortura se houvesse dor física e sangue escorrendo;
Fizeram tortura sem haver dor física e sangue escorrendo.

Acharam que a mídia oficial do lado da direita, só falaria a verdade;
A mídia oficial só vive falando mentiras.

Acharam que cristãos no poder garantiriam a bondade e o respeito humano;
Vários cristãos no poder que demonstram maldade e desrespeito humano.

Acharam que escolas livres e democráticas praticavam doutrinação partidária;
A "Escola sem Partido" se prepara para por em prática a sua doutrinação partidária.

Acharam que o Ministro da Economia iria melhorar a distribuição de renda;
O Ministro da Economia lança medida que reforça a concentração de renda.

Acharam que o petróleo, nossas empresas e o nosso patrimônio nunca sairiam de nossas mãos;
O governo já começa a vender petróleo, empresas e patrimônios aos gringos.

Acharam que capitalistas no poder tornariam o Brasil mais justo;
Capitalistas no poder aumentam ainda mais as injustiças no Brasil.

Acharam que a esquerda no poder iria roubar e matar;
A direita no poder se esforça para que ninguém a impeça de roubar e, se necessário, matar.

Achavam que o povo mais necessitado seria protegido;
O povo mais necessitado que se vire se quiser sobreviver.

Achavam que o Poder Judiciário e o Ministério Público protegeriam a Constituição;
Vemos o Poder Judiciário e o Ministério Público rasgarem literalmente a Constituição.

Achavam que os direitos mais essenciais seriam mantidos;
Direitos essenciais estão prestes a serem cancelados.

Acharam que a Democracia nunca existiria sem o povo;
Fizeram, acredite, uma "Democracia" sem o povo.

domingo, 17 de julho de 2016

O Dilema


Por Marcelo Pereira

Um juiz relativamente jovem se encontra na cama ao lado da esposa. Está envolvido em um importante caso político e é muito influente e amado por muitos. Mas ele não estrá tranquilo. O juiz parece preocupado.

JUIZ - Eu não consigo dormir

ESPOSA - Porque não?

JUIZ - Há muita cobrança para meu trabalho.

ESPOSA - Ué, mas você não está fazendo seu trabalho direitinho?

JUIZ - Sim. Mas há uma turma que quer que eu faça mais.

ESPOSA - E porque você não faz?

JUIZ - Posso envolver muita gente que não deveria.

ESPOSA - Como assim?

JUIZ - Gente querida... de confiança...

ESPOSA - Como quem afinal?

JUIZ - Aquele senador simpático, alegre. Quase chegou lá. Hoje a situação está tranquila para ele. Mas poderia estar melhor. A lei não permite que ele esteja onde deveria.

ESPOSA  - O senador? Aquele?

JUIZ - Neto de estadista. Bom homem. Amigo de fé. Um apresentador de TV muito querido é o seu melhor amigo.

ESPOSA - Mas se a situação está tranquila, porque você está preocupado?

JUIZ - Um dedo duro infeliz falou que ele seria comido. O primeiro.

ESPOSA - Comido?

JUIZ - Acontece que se ele for comido, jamais comeremos na casa dele.

ESPOSA - É, as festas dele são memoráveis.

JUIZ - O senador é um grande amigo. Parceirão. Se ele for para a gaiola não teremos final de semana.

ESPOSA - Mas Tio Sam não garantiu que ele seria protegido?

JUIZ - Sim, garantiu. Até me aconselhou dar uma desculpa esfarrapada. Eu achei a desculpa boa, disse que não era da minha responsabilidade pegá-lo. Mas muita gente não acreditou.

ESPOSA - Você esperava que acreditassem? Esqueça esta gente! Proteja o senador!

JUIZ - Querem que eu pegue o sociólogo. Ele parece preocupado. Sabe que está entre os que serão comidos. Até colocou marca-passo.

ESPOSA - Coitado...

JUIZ - Luto também para defendê-lo. Bom velhinho. Um patrimônio.

ESPOSA - Será que querem também o careca das relações?

JUIZ - Tio Sam ainda está do lado dele. Mas está complicado convencer a Europa. O careca está sem credibilidade.

ESPOSA - Tá difícil. O careca nunca foi muito carismático. Por isso só vivia perdendo eleição.

JUIZ - Mesmo assim, faço o possível para não pegarem o careca. Se pegarem, estou frito.

ESPOSA - Você faz a sua parte, agora esquece todos e vai dormir!

JUIZ - Minha turma... meus amigos... bom partido... atrás das grades, nunca!

ESPOSA - Esquece e vai dormir!

JUIZ - Ai, ai...

sábado, 2 de julho de 2016

O homem que não é nerd e o falso-nerd


Por Marcelo Pereira

Qual é a diferença entre um homem comum (que não é nerd) e o falso-nerd (tipinho bem comum por aí e que também não é nerd)?

O homem comum só gosta de duas coisas: futebol e cerveja.

O falso-nerd só gosta de três coisas: futebol, cerveja e computador. O falso-nerd usa a terceira coisa apenas para cultuar as duas primeiras.

Machismo realmente é uma bosta.