sábado, 21 de março de 2015

Aniversário...

Por Marcelo Pereira

Aniversário. O que realmente significa um aniversário? Pra quê as pessoas comemoram aniversários? Celebrar a vida? Talvez. E para quem a vida não é boa? E mesmo para que é boa, as sofreu muito para conseguir que ela seja boa? Vale a pena comemorar? Sei lá.

Aniversário. Isso me põe a pensar. Quer dizer, se a barulheira da música alta e dos convidados que nunca calam suas vozes estridentes, deixarem pensar. Convidados que certamente vieram mais pela farta comilança - interessante como se come mais um pouquinho os aniversários - do que pelo homenageado pela data.

Aniversário. Na minha mais tenra infância era mais divertido. As manifestações de afeto eram mais sinceras  - quem não gosta de crianças bem pequenas? - ganhava presentes, pulava mais, corria mais e não tinha que ficar preocupando com a organização da festa. Os adultos cuidavam disso.

Aniversário. Hoje eu tenho que fazer a festa. Sou o homenageado e o lacaio ao mesmo tempo. Como sempre, a Senzala fazendo a festa para a Casa Grande. Eu que tenho que preparar tudo, gastar dinheiro, fazer comida e arrumar a casa. Até parece que são os convidados que irão soprar as velinhas. No final da noite eu ganho de presente um estressante cansaço que me levará para a cama mais cedo. Para depois resolver comemorar meu aniversário em outra data, quando eu puder me dedicar a mim mesmo.Quando eu puder.

Aniversário. Que datinha essa que você abre a conta de e-mails e de redes sociais para ler o que hipócritas que em outras datas fingem que você não existe, lhe mandam para lhe desejar uma abstrata felicidade da boca para fora, com objetivos diplomáticos e nada contribuir para que de fato o aniversariante seja um pouco mais feliz. 

Aniversário. E se os tais "amigos" resolvem me dar alguma coisa? Mais cuecas e meias de má qualidade a entupir a sua já entupida gaveta. Isso quando dão alguma coisa. Outros vem com uns tapinhas nas costas ou recitam orações feitas para a abstração que eles chamam de "Deus" - tão real quanto os bonecos que enfeitam as decorações de aniversário infantis - me dar o presente que eles, muito mais prósperos do que eu, se recusaram a me dar.

Aniversário. Que dia! Mais um ano de vida se completa. E cada desejo de felicidade que é adiado para o próximo aniversário. Vamos reconhecer: a Felicidade é a convidada que sempre resolve faltar nas festas de aniversário.

domingo, 15 de março de 2015

Coxinhas


Por Marcelo Pereira

PRIMEIRO ATO, CENA ÚNICA: Brasil, 2016. Após intensa campanha, a Presidente da República é deposta, junto com todo o seu partido, que sai da legalidade. Uma junta militar comandada por um famoso militarzinho, meio rebelde e meio boca suja, mas muito adorado, toma o lugar dela e comanda o país.

Um dos mais exaltados manifestantes que ajudou a derrubar a presidente, após pedir autorização a um general, empossado como ministro da Casa Militar (a casa civil foi extinta), resolve falar com um dos maiores empresários do país, principal patrocinador dos manifestos:

- Boa tarde, Doutor!
- Boa tarde. Quem é você?
- Eu estive nas manifestações! Chamei muita gente para participar! Finalmente conseguimos tirar a presidente e todo o seu partido!
- Sei.
- E aí, Doutor! Tem uma vaguinha aí de assessor, como prêmio por e ter conseguido o nosso objetivo?
- Hã?!
- Uma vaga de assessor! Com ganho de R$10.000 iniciais! Não aceito menos que isso!
- Não temos. Temos uma vaga para faxineiro, por 700 reais de salário bruto.
- Como é, Doutor? Eu batalhei, eu lutei, chamei gente e você retribui dessa forma tudo que eu fiz? Cara, sou seu simpatizante! Sempre defendi o seu ponto de vista! Mato e morro para defendê-lo!
- Não quer a vaga de faxineiro?
- Não quero.
- Então vou chamar um dos meus assessores para ter uma conversinha com você a sós, ali na salinha escura. Espere sentado na pequena cadeira que está na salinha.

Pronto. Assim é que se frita uma coxinha...

sexta-feira, 6 de março de 2015

Bom Dia


Por Marcelo Pereira

Dois caras se encontram de manhã no elevador, indo para o trabalho.

- Bom Dia.

- Que bom dia que nada! Dormi mal, acordei pior! Água faltou! O pão estava dormido, cafe frio! Minha empregada havia ido embora ontem! Estou cheio de dívidas! Minha mulher está doente! Meu filho se machucou na escola! O Brasil está em crise! A inflação voltou! Meu patrão me odeia! Além de ter recusada a prometida promoção, eu inda tive cortes nos salários! Engarrafamentos! Quase fui assaltado na rua ao voltar para casa ontem! E você ainda me falar em "bom dia"?!

- Bem, eu só quis ajudar.

Poucos minutos de silêncio. Após um suspiro, o homem que estava irritado, finalmente diz algo:

- Bom Dia.

domingo, 1 de março de 2015

Perdi um amigo que eu não tive

Por Marcelo Pereira

Quando eu era criança, um dos programas que gostava mais de assistir era o seriado Jornada nas Estrelas (Star Trek, no original). Quase não entendia nada daquilo, mas mesmo assim me divertia. Com o tempo fui entendendo e gostando mais ainda. Embora não seja um especialista trekker, me tornei fã da saga e sempre vejo quando encontro oportunidade, o seriado, os filmes e os spin-offs criados com o nome da saga.

Desde a infância, o personagem que mais chamou minha atenção era o Senhor Spock, que eu chamava na época de Doutor Spock. Claro que a aparência estranha e o jeitão de cara meio chateado eram  motivo. Mas com o tempo a admiração pelo orelhudo personagem ia aumentando, conforme eu fosse entendendo a função dele no seriado.

Essa admiração, além de aumentar, se estendeu ao ator. Apesar de conhecido por fazer Spock, fazendo muitos pensarem que fosse seu único personagem, Nimoy tinha uma carreira vasta, fez westerns, filmes bíblicos e ainda emprestou a sua cara de Spock ao Ford do telefilme baseado no famoso livro Admirável Mundo Novo, de Aldoux Huxley, que prevê a sociedade atual, ora em metáfora, ora em previsões literais, e que inspirou muitas outras obras, além do nome deste blogue. O nome do personagem não pode ser citado no telefilme para não criar problemas com a famosa marca de carros. Mas quem leu o livro, sacou que Nimoy era Ford.

Nimoy também era fotógrafo profissional (assim como o cantor Bryan Adams, outro que admiro) e poeta. Em ambas, deixava aflorar a sua surpreendente sensibilidade, coisa que justamente o seu mais famoso personagem não possuía. Tentou uma fracassada carreira musical, que foi para  ralo por não ser a vocação natural do talentoso ator. Mas o seu mais admirável papel estaria na vida real, como o simpático cidadão Leonard Nimoy.

Como gostaria de envelhecer como Nimoy. Jovial, angariou grande popularidade, graças a Spock. Não se vestia como velho e nem agia como tal, conquistando fãs e amigos cada vez mais jovens. Do contrário que se poderia esperar, ele adorava participar de eventos de ficção científica e não se incomodava em ser lembrado como "o eterno Senhor Spock".Afinal, Spock lhe abriu as portas e he trouxe fãs e consequentemente amigos.

E muitos amigos. Sua simpatia e jovialidade lhe permitia converter muitos fãs em amigos. Mantinha contatos com todos eles. Adorava a tecnologia e utilizava as redes sociais, que foi o meio que encontrou para a sua última despedida.

E para mim, ele foi o amigo que eu nunca tive. "Mas como? Ele nunca te conheceu, nem sabia que você existia!" perguntarão alguns a mim. Mas com certeza foi um grande amigo. Pelo menos era o que me parecia.

Ele me ajudou a entreter durante a infância. Seu exemplo de jovialidade e de sensibilidade me serviram como lições de vida. A personalidade do ator e o modo como encarava a cultura nerd, provam da capacidade de Nimoy ter sido meu amigo.

Tenho a certeza que Nimoy teria sido meu amigo se me conhecesse. Para mim, ele só representou alegrias. E mais, representou um grande exemplo de como envelhecer com dignidade, sem negar suas características pessoais. Envelheceu sem deixar de ser Leonard Nimoy.  Envelheceu sem deixar de ser Spock.

Sinto que eu perdi um amigo. Eu sou seu fã, mas poderia ter sido muito mais. 

E tenho a certeza que ele não morreu. Não, pois a morte não existe. Spock recebeu chamado do povo volcano e retornou a seu planeta. A nave veio, Spock se apresentou e teve que ir, após deixar uma curta, mas bela mensagem de despedida: "A vida é como um jardim. Momentos perfeitos podem existir, mas não  ser preservados, exceto na memória. LLAP". Brilhante.  Os verdadeiramente sábios costumam falar muito usando poucas palavras.

Nos veremos um dia em Volcano, Senhor Spock. Obrigado.