domingo, 21 de dezembro de 2014

Não me chamem para ir a casamentos



Por Marcelo Pereira

Não gosto de assistir a casamentos. Não gosto mesmo. O único casamento que eu gostaria mesmo de ir é o meu.

Na verdade não gosto de casamentos por três principais motivos. O primeiro é que é menos uma gata disponível no mercado da vida afetiva. Oportunidade para o idiota-vestido-de-pinguim rir da cara dos outros homens: "Babacas, me dei bem, estou com a maior gata". Pena que ele se arrependerá disto pouco depois.

O segundo é a impressão que tenho que o noivo, aquele idiota com roupa de pinguim, é sempre melhor do que eu. O babaca ou satisfez direitinho as exigências da sanguessuga ou teve sorte. Como não fui incluído em quaisquer dos casos, não gosto, não vou e ponto final.

Terceiro motivo é que tenho a certeza que pelo menos 80% dos casamentos de cada ano são uma fraude. Não é por amor. Se fosse só por amor, ninguém casaria, apenas namorava eternamente. A segurança de uma certidão é a prova de que existem interesses por trás e que uma boa trepada tem um preço a ser pago. Quer beijim? Antes meu dindim!

Prefiro ir a enterros. São mais animados. Ainda mais que, mesmo sendo ateu, sei que existe vida pós morte e que a despedida pode ser momentânea. O sentimento de amor nunca separa quem se gosta de verdade. Separa apenas os interesseiros, que depois de falecerem, vão cada um para o seu canto, quietinho, virado para a parede.

Casamentos não. Além disso são chatos pra cacete, cheio de rituais, danças tolas mensagens de "amor" da boca para fora e outras tolices do gênero. Sem falar daqueles videoclipes cafonas de tão mal feitos. Vídeo, no meu casamento, só se eu for o diretor e editor.

Portanto, não vou ver casamento de príncipe algum e nem de plebeu qualquer.

Mas aproveito para desejar meus sinceros votos a ele e a todos os homens que se casam: SE VIREM!!!

Ué, não é isso que me dizem quando eu peço ajuda para a realização afetiva?

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Keep Calm and... Keep Calm

Por Marcelo Pereira

MESTRE DE CERIMÔNIA - Olá, estamos aqui no Shopping Compramais, no Rio de Janeiro, para entregar o carro a um felizardo, o Sandro, que foi sorteado na nossa promoção para ganhar um carro zero!
SANDRO - Legal. Obrigado pela oportunidade!
MESTRE DE CERIMÔNIA - Estamos felizes por sua conquista! Carro novo, vida nova...
SANDRO - É verdade!
MESTRE DE CERIMÔNIA - E aí, Sandro, vamos nos descontrair. Qual é o seu time de futebol?
SANDRO - Nenhum.
MESTRE DE CERIMÔNIA - Como assim, nenhum?
SANDRO - Nenhum. Eu não curto muito futebol.
MESTRE DE CERIMÔNIA - Mas peraí, aqui todo mundo gosta de futebol. Tem certeza disso?
SANDRO - Nunca fui muito chegado no futebol e levo a vida asim.
MESTRE DE CERIMÔNIA - Rapaz, não precisa assistir ao jogo. Mas pelo menos por um dos quatro times cariocas você torce, não é?
SANDRO - Nenhum.
MESTRE DE CERIMÔNIA - Nem pelo América, pelo Bangu?...
SANDRO - Nenhum.
MESTRE DE CERIMÔNIA - Pela seleção você torce...
SANDRO - Que seleção?
MESTRE DE CERIMÔNIA - A brasileira, ora, Neymar, Copa, Patriotismo...
SANDRO - Não curto. Em copas prefiro viajar para lugares campestres sem TV.
MESTRE DE CERIMÔNIA - Sandro, Sandro...
SANDRO - Mas realmente prefiro o sossego...
MESTRE DE CERIMÔNIA - Tenha paciência, Sandro! Brasileiro: sossego?
SANDRO - Gosto de uma vida bem tranquila.
MESTRE DE CERIMÔNIA - Rapaz, está pegando mal aqui. TEM CERTEZA QUE VOCÊ NÃO CURTE FUTEBOL? NÃO TORCE PARA ALGUM TIME?
SANDRO - Ué, o que tem de mal em não curtir?
MESTRE DE CERIMÔNIA - Aqui meu amigo, futebol é lei! É LEI! Todo mundo tem que gostar e você está me irritando! Tá todo mundo ouvindo você dizer que não curte e isso nunca é bom. Inventa que gosta, porra! Inventa!
SANDRO - Acho que você está ficando um pouquinho tenso. Quer que eu peça para alguém trazer um copo de água com açúcar?
MESTRE DE CERIMÔNIA - AAAAAAAAAAHHHHHHHHHHHH!!!